Tuesday, December 30, 2008

Bug 2000


Já que vamos para 2009... Alguém se lembra?
Ia ser o fim do mundo em cuecas. No primeiro de Janeiro de 2000 ia parar TUDOOOOO!!!!
Computadores, bancos, sistemas de suporte de vida nos Hospitais, empresas de distribuição... Ia ser o retorno à pedra lascada (mas em grande!)
Não foi preciso chegar a Fevereiro para se ter idéia do alcance do embuste, e para fazer contas aos milhões gastos para resolver um problema que...
Bamos ao obo. Ovo. À origem.
Nos primórdios da informática decidiu-se pela omissão dos dois primeiros dígitos do ano por razões óbvias de poupança de recursos. Numa qualquer base de dados conseguia-se uma "economia" de 25% nos registos de datas - DDMMAA contra DDMMAAAA. Significativo, se tivermos em conta o seguinte: o ZX Spectrum, com 48K de memória, apenas conseguia "guardar" em memória 6000 registos "extendidos" contra 75000 no formato "comprimido".
Ora... eu... que até sou do género de gostar dos três pontinhos (...)... e tal... cada pontinho, cada letra, cada vírgula, cada espaço, cada tab ou mesmo um "enter" corresponde a um byte (oito bits, dois nibbles). Quarenta e oito mil destes e tenho a memória de um Spectrum a deitar por fora.
À borla, na net. Sem pagar um chavo.
E pensar que há cinquenta anos, por causa desse mesmo espaço que não havia "à pázada", se engendou uma solução que deu calafrios a muitas almas na noite de 31 de Dezembro de 1999...

10 Leal



Ouvi há muitos anos uma frase lapidar, que me ficou gravada no granito cinzento da alma: "uma relação pode resistir a tudo menos à mentira". Dita pela minha maninha, sangue do meu sangue.
Uma relação não tem que ser obrigatoriamente um romance. Pode ser uma amizade, uma relação de trabalho entre duas pessoas ou um "Bom dia, Boa tarde" com o vizinho do lado. Dependendo do que for, há diferentes gradações no envolvimento das partes e nas expectativas geradas, e também limiares de esforço completamente distintos - entenda-se por "limiar de esforço" o limite a partir do qual deixa de valer a pena.
Qual é o real significado da mentira (excluindo a mais perniciosa de todas, a chamada mentira piedosa) num qualquer relacionamento?
A mim parece-me simples; é o oposto aditivo da lealdade e da cumplicidade.
A cumplicidade é (só) aquilo que permite que o todo seja superior à soma das partes; a lealdade é m misto de autoconfiança com confiança cega na outra parte; é uma questáo de fé inabalável (e paradoxalmente, de uma fragilidade avassaladora, dádiva abenegada da parcela da autoconfiança); e na realidade é quase tudo aquilo que suporta a cumplicidade.
A mentira mina a lealdade e compromete a cumplicidade. Deixamos de acreditar na outra parte e em nós próprios, retraímos o empenho e deixamos que seja substituído na raíz pela desconfiança. O limiar de esforço cai, baixam as expectativas e... Serve-se frio.

Não me digam que não necessitamos disto. Necessitamos porque é o fio condutor da nossa fragilidade. Temos que acreditar. Temos SEMPRE que acreditar. E quando não há mais nada em que acreditar, descemos um degrau e passamos apenas a ter esperança.

Noire...

Em tempos não muito recuados (mais ou menos um mês) deixei aqui atrás duas fotos de um projecto de uma embarcação, mais concretamente uma Proa de fabrico "caseiro" chamada Noire. Fui eu que fiz sim, num compósito de contraplacado com fibra de vidro e resina epóxy. Os planos estão todos na massa cinzenta, não me recordo de um único rabisco em papel... Se tivesse que voltar a fazer, provavelmente ficaria melhor: mais leve, mais robusta e com outro tipo de acabamento. Talvez até ficasse com uma estrutura semelhante...
E porque raio de razão é que voltei à carga logo agora? Dezembro, invernia... Nada que tenha que ver com as fotos, portanto. So?
Porque há coisas que nos estão no sangue. E isto é uma coisa que me ficou agarrada à alma, seguramente. A vontade de ter algo que só precisa de uma força da Natureza para se passear pela Natureza. Parece-me que é uma (boa) parte da explicação.
Um tema que me parece um tudo-nada paradoxal é o aparente desinteresse/desconhecimento que nós (Portugueses, no geral) manifestamos por estes assuntos relacionados com o mar. Pretendemos ser os descendentes de uma nobre linhagem de navegadores pioneiros, metade da nossa fronteira é marítima, temos uma orla costeira com elementos únicos para a prática de desportos náuticos (estuários e lagoas costeiras), uma miríade de lagos artificiais no interior do País, entre os quais o maior lago artificial da Europa, e a esmagadora maioria de nós não percebe pevide do básico dos básicos da arte de navegar. Há portanto aqui algo de profundamente errado - ou com a versão da História que nos tentam impingir, ou com aquilo que andamos a fazer com o nosso passado.

Amizades...

Malta amiga e família de um fulano de tal emplumado que tem dado que falar por aqui...





Ano Novo...

Não sei se já repararam, mas os dias começam a ficar maiores... Já se sente qualquer coisinha. ;)
Pronto, pronto, estas vão a antecipar o Verão que se aproxima a passos largos. Chamem-le entusiasmo solitário, mas hoje, ao contrário do que muitas pessoas poderão pensar, não está a chover nem está mau tempo; está apenas um pouco estimulante, tal como diria o Obélix.










Estas chegaram por mail, não faço idéia de quem seja o autor... Diz-se por aí que foram tiradas na Polinésia Francesa. Ora, desconfio que não, porque da varanda da minha barraca parece-me que se consegue ver a terceira palmeira da penúltima foto.

Monday, December 29, 2008

Cheers - "Atlantic" Proa

Esta "funciona" ao contrário. É tambem uma Proa, mas o flutuador aqui funciona sempre como tal e não como contrapeso. Trata-se de uma concepção "ocidentalizada" baseada na idéia original... Chama-se Cheers, foi desenhada e construída em 1967 para participar no ano seguinte na OSTAR (Observer single handed Trans-Atlantic race). Abandonada durante quase trinta anos, foi redescoberta em 1999 e restaurada, tendo sido de novo lançado à água em 16 de Setembro de 2006.


Pintura de Bruce A. Alderson

Flying Proa Kauri

Esta imagem é de 1988 (Wooden Boat Magazine)... e aqui temos um vídeo recente de uma bixinha igual a esta (chamada Jzerro) a bater os 17 nós (equivalente a 31,484 Kmts/H)... Só com a força do vento.
A maravilha chama-se Kauri, e foi projectada e construída por um senhor chamado Russell Brown. O velame não é o tradicionalmente utilizado neste tipo de embarcações.

Waan Aelõñ in Majel

Finalmente... (re) encontrei. Nas fotos do site com o nome do título do post (Waan Aelõñ in Majel), percebe-se o que é, e porque é que é "The" Flying Proa. Tudo isto é feito com recursos básicos e relativamente baratos (com excepção da fibra de vidro e da resina)... e "bate" nas calmas qualquer coisa demasiadas vezes mais cara. Só é necessário saber como.

O flutuador (que na realidade funciona como contrapeso) chama-se "Aka"; O casco é a "Vaka", e a ligação entre ambos é a "Ama". O formato da vela (em Inglês "Crab Claw Sail") é um prodígio aerodinâmico. O conjunto é uma máquina fabulosa de correr sobre as águas.






Decorações de Natal

Já há uns tempos que andava para botar faladura acerca disto. Cada um terá o direito à sua opinião, mas... A verdade é que quem não se sente não é filho de boa gente.
O Cristo-Rei parece uma reposição rasca da Família Adams num plasma da Samsung; o Marquês de Pombal está muito pior do que qualquer quiosque da TMN no Colombo ou no Vasco da Gama.
Diz-se por aí que ainda bem, haja alguém que pague as decorações de Natal. Certo. Em época de crise há-que libertar os parcos orçamentos municipais (no caso do Cristo-Rei creio que é propriedade da Igreja) para outros fins bem mais úteis, como a distribuição de habitações sociais por pessoas reconhecidamente necessitadas...
Esclarecido este ponto, avancemos para o seguinte: a razoabilidade estética. Ora também aqui os resultados são discutíveis (e muito). Se por um lado o pedestal do Cristo-Rei se ficou a parecer com uma versão azul-apaneleirada do Saturno V, o Marquês de Pombal (a praça, ou rotunda, ou o que lhe queiram chamar) ficou de um modo tal que nem consigo encontrar adjectivação à altura. E eu pergunto-me se efectivamente os Lisboetas terão orgulho na sua Cidade, na sua História ou sequer no facto de viverem na Capital do rectângulozinho. Sinceramente, duvido.
Continuando... Como Cidadão pagante, não me desagradaria de todo saber quem são as alminhas responsáveis por tamanhos atentados ao bom-gosto e à utilização do espaço público. Porque nenhum dos dois casos referidos foi concebido com o objectivo de se transformar em cartaz publicitário, porque me parece que o assunto não foi devidamente equacionado e porque me parece incompreensível que os fins, quaisquer fins, justifiquem estes meios. Lisboa está a ficar parecida com a Springfield dos Simpsons...

Cáustico

Entre os Contemporâneos e os Gato Fedorento já nem sei o que diga. Vi ontem, sorte a minha. Muito bom, mesmo muito bom. Já não passava o espírito por pérolas daquele calibre há umas semanas. Desde as etrevistas à MFL e ao PSL até à ida ao refugo para arranjar um candidato para a CML, sem esquecer o casamento Cigano Gay...
O Humor está em alta. Eu escavaquei-me a rir, pelo menos...

Estados de Alma

Há dias assim. Um bocadinho a puxar para o negro. Pode ser que o Sol ainda apareça...




I am back.

Após mais uma quadra Natalina que não foi nada de especial...
Venha o fim de ano, pode ser que seja melhor.


Wednesday, December 24, 2008

Ora...

Já estou perdido. Já não sei mesmo às quantas ando, como se costuma a dizer... E por acaso, sorte ou azar, hoje é dia em que tenho umas quantas boas razões (e não meras desculpas) para andar com o Norte baralhado, mas isso fica para depois.
Porque hoje é véspera de Natal, ponto. Há uns anos ficava com as tripas do avesso só de pensar no Natal, pelo consumismo, pela azáfama e pela hipocrisia. Era uma análise simplista e taxativa, preto no branco, sem pontos intermédios. Sem constatar que somos seres sociais, logo seres polítcos, logo o ritual faz parte da nossa convivência - e o Natal é mais um ritual, em que aproveitamos para fazer coisas que normalmente não fazemos. O problema do Natal é tudo aquilo que vem para além do ritual.
Porque apesar de ser Natal continuo a ver o mesmo sem-abrigo a dormir debaixo da 25 de Abril, no matagal (sim, leram bem, debaixo "daquela" ponte), os mesmos que pernoitam na Av da Liberdade e um pouco por cada abrigo da Cidade... Algumas pessoas que passam na rua, maioritariamente imigrantes ou idosos, ou simplesmente pessoas solitárias. Como todas as outras. Nestes dias esta Cidade (ou partes dela) acaba(m) por ser um espelho da alma de quem cá vive... Mas apesar de tudo isso, e da fome no mundo, das guerras e genocídios, das mortes nas estradas, do cancro e do que vier mais, e apesar de sabermos que nada disso vai mudar amanhã - só por ser Natal não implica que nada mude, tal como a vida tem o condão de nos ensinar - podemos pelo menos marcar a data como um ponto de viragem em algumas pequenas coisas. Algumas (muitas) pequenas coisas todas juntas podem fazer uma grande diferença... E esse é o nosso problema com o Natal - é que temos que ser nós a fazer um pequeno esforço para que o tal "Natal quando um homem quiser" seja menos uma questão de datas e mais uma questão de vontade. E para que o outro Natal do dia 25 seja um pouco menos comercialóide e hipócrita (ainda acho que é, claro!!!).

Um bom Natal!

Graffitti

Av. da Liberdade, 8:20 da matina...
Confirma-se, fui catado. Estou a bulir sim.
Mas não queria deixar passar em branco... foi a primeira vez que apanhei o "bixo" sem carros à frente, vai de aproveitar. Espectacular, a bem dizer.



Parabéns, Gertrudes!!!

...Digo, Lilith.
Dez anos é tempo como o caraças.
Beijocas, miúda.


Tuesday, December 23, 2008

Pensamentos para o Natal:


- O meu traseiro contempla todos aqueles que falam nas minhas costas. –FrancisPicabia

- A dor tem suas razões, o prazer é totalmente indiferente. -Idem

- Faz sempre sóbrio o que disseste que irias fazer bêbedo. Isso ensinar-te-á a manter a boca fechada.– Hemingway

- Os médicos trabalham incessantemente em conservar a saúde; os cozinheiros em destruí-la, porém estes estão mais seguros do seu sucesso. – Denis Diderot

- Algumas pessoas começam a falar um momento antes de pensar. – Jean de la Bruyere

- Alguns são tidos como corajosos só porque tiveram medo de sair correndo. - ditado inglês

- Nada é mais perigoso que uma idéia, se você tem apenas uma. – Anónimo

- A vida é aquilo que acontece enquanto fazemos planos para o futuro. - John Lennon

- As únicas desgraças completas são as desgraças com as quais nada aprendemos.- William E. Hocking

- É preciso aceitar que algumas vezes somos os pombos e outras a estátua.- Roger Andersen

- É sábio quem conhece a diferença entre liberdade de expressão e conversa vulgar.- Doug Larson

- Eu adoraria encontrar o sujeito que supostamente sou. Eu o contrataria em um segundo.- Lee Iacocca

- Nossa dignidade pode ser atacada e cruelmente escarnecida, mas não nos pode ser arrancada a não ser que a entreguemos.- Michael J. Fox

- Nunca se pode consentir em rastejar quando se é impelido a voar.- Helen Keller

- O dinheiro não muda o homem, ele apenas o desmascara.- Henry Ford

- O futuro não é o que se teme. O futuro é o que se ousa.- Joelmir Betting

- O problema não é o problema; o problema é a atitude com relação ao problema.- Kelly Young

- Os grandes navegadores devem sua reputação aos temporais e às tempestades.- Epicuro

- Os espinhos que me feriram foram produzidos pelo arbusto que plantei.- Byron

- Poucas coisas mudam com tanta facilidade quanto o futuro.- Bern Williams

- Quando não se pode voltar, só devemos ficar preocupados com a melhor maneira de seguir em frente.- Paulo Coelho

- Quando os que mandam perdem a vergonha, os que obedecem perdem o respeito.- Cardeal de Retz

- Quando se busca o cume da montanha, não se dá importância às pedras do caminho.- Neimar de Barros

- Seja sempre uma versão de primeira classe de si mesmo, em vez de uma versão de segunda classe de outra pessoa qualquer.- Judy Garland

- Você só será lembrado por duas coisas na vida: os problemas que resolveu e os que criou.- Mike Murdock

- Quando alguém cai em um buraco que ele próprio cavou, é o momento certo para examinar a qualidade da mão-de-obra.- Jon Remmerde

Prendinhas de Natal

Aqui.
Para trazer a diversão às tarefas domésticas.... :)






A tout le monde, a tous mes amis

Je vous aime, je dois partir...


Monday, December 22, 2008

Há amizades assim...

A Brigitte estava desprevenida... Veio uma horda de selvagens (que calham a ser gajos porreiros que trabalham comigo) e fizeram isto... lindo preparo.
A inveja dá cabo de um homem. Pessoas normais, chefes de família conscientes, cidadãos exemplares, contribuintes atempados, quando confrontados com uma "burra" deste calibre, dá-lhes para estas coisas. Perdoai-lhes, Senhor... :)
Nada que eu não mereça pelas que fiz no passado... mas escusavam de atacar a pobrezinha.

Sunday, December 21, 2008

Friday, December 19, 2008

Pensamento da Tarde:

Na realidade é...

Antecipando a coisa, para todos(as) aqueles(as) que só acedem à net no trabalho

E que têm a sorte de estar de férias a partir de hoje,



FELIZ NATAL!!!


Tricky...


You want to estimate
The distance that it takes
To find a lover lover
You want to rectify
This mad look in my eyes
Then find your other lover

I found out how to be perfect for you my dear
While I was bumping around bumping around

You want to estimate
The distance that it takes
To find a lover lover
Come on lets rectify
This mad look in my eye
Come on yes lets discover

You dont want to face me when you
You dont want to make me when you
You dont want to take me when you
You dont want to face me when you
You dont want to make me when you
You dont want to take me when you
Fail

One day youll hold your head
So dark and withered dead
Wish you were here
A simple task to feed
Of unforgiven greed
Wish you were here

I found out how to be perfect for you my dear
While I was bumping around bumping around

You dont want to face me when you
You dont want to make me when you
You dont want to take me when you
You dont want to face me when you
You dont want to make me when you
You dont want to take me when you
Fail

You want to rectify
This mad look in my eye

I found out how to be perfect for you my dear
While I was bumping around bumping around

One day youll hold your head
So dark and withered dead
Wish you were here
A simple task to feed
Of unforgiven greed
Wish you were here

You dont want to face me when you
You dont want to make me when you
You dont want to take me when you
You dont want to face me when you
You dont want to make me when you
You dont want to take me when you
Fail

You dont want to face me when you
You dont want to make me when you
You dont want to take me when you
You dont want to face me when you
You dont want to make me when you
You dont want to take me when you
Fail

Pensamento do dia:


Depois de me esfalfar para deixar mais ou menos em dia a leitura das notícias, fiquei com a forte certeza de que isto já não é um País, é um bordel mal frequentado. Subscrevo portanto o que disse um anónimo indignado: putas ao poder, os filhos já lá estão.

Wednesday, December 17, 2008

Romeo And Juliet


A lovestruck romeo sings a streetsus serenade
Laying everybody low with me a lovesong that he made
Finds a convenient streetlight steps out of the shade
Says something like you and me babe how about it ?

Juliet says hey its romeo you nearly gimme a heart attack
Hes underneath the window shes singing hey la my boyfriends back
You shouldnt come around here singing up at people like that
Anyway what you gonna do about it ?

Juliet the dice were loaded from the start
And I bet and you exploded in my heart
And I forget the movie song
When you wanna realise it was just that the time was wrong juliet ?

Come up on differents streets they both were streets of shame
Both dirty both mean yes and the dream was just the same
And I dreamed your dream for you and your dream is real
How can you look at me as if I was just another one of your deals ?

Where you can fall for chains of silver you can fall for chains of gold
You can fall for pretty strangers and the promises they hold
You promised me everything you promised me think and thin
Now you just says oh romeo yeah you know I used to have a scene with him

Juliet when we made love you used to cry
You said I love you like the stars above Ill love you till I die
Theres a place for us you know the movie song
When you gonna realise it was just that the time was wrong juliet ?

I cant do the talk like they talk on tv
And I cant do a love song like the way its meant to be
I cant do everything but Id do anything for you
I cant do anything except be in love with you

And all I do is miss you and the way we used to be
All do is keep the beat and bad company
All I do is kiss you through the bars of a rhyme
Julie Id do the stars with you any time

Juliet when we made love you used to cry
You said I love you like the stars above Ill love you till I die
Theres a place for us you know the movie song
When you gonna realise it was just that the time was wrong juliet ?

A lovestruck romeo sings a streetsus serenade
Laying everybody low with me a lovesong that he made
Finds a convenient streetlight steps out of the shade
Says something like you and me babe how about it ?

Fim-de-Semana...




Hoje ainda não me consegui convencer de que não é sexta-feira. Não sei porquê.

Porque.

Porque nem sempre nos conseguimos satisfazer com a prisão, por muito grande que seja. E quando tem o tamanho da vida, não implica forçosamente que seja grande - a vida é que pode ser pequenina.




Caco do mimo

Expressão muito utilizada pela minha antepassada mais chegada, a minha ruguitas, cujo significado ainda hoje não estou certo de ter apreendido na plenitude. Mas olhando para este focinho (e ainda não a viram a "rir" - sim, porque esta bola de pêlo irrequieta está sempre a sorrir), a expressão assenta que nem uma luva.
Sammy, porque o pai era um Samoyedo (as manchas vieram da mãe, uma Setter esgroviadita). A loiraça platinada cá de casa.

Welcome Brigitte!!!



A Brigitte já tá em casa. Chegou há bocadinho. Aliás, chegámos há bocadinho, fui eu que a fui buscar - sozinha tinha-se perdido, coitada... Sim, é gira que se farta e tem uma voz que é um mimo, mas precisa de mãozinhas. Não é nova, mas destas já não se fazem, partiram o molde...
Uma limpeza e fica nova (gosto mais da foto de baixo)... E anda que se farta... dá 30, 40, 50... e daí para cima também.

Já andam a espalhar o boato de que a ando a montar... Preversões.