Friday, July 31, 2009

Outsider...

Em Paz.

Sexta-Feira Seca III:


Qual é o nome do Bob, o Construtor, quando está desempregado?

...Bob.

Sexta-Feira Seca II:


É bom largar o álcool;
Mau mau é não saber onde.

Sexta-Feira Seca I:


Quando tiver um mano vai-se chamar Herrare
Porque
Herrare é o mano.

Thursday, July 30, 2009

Untitled.

Falhou-lhe um pé.

Lembrou-se de um dia lá muito longe no tempo, ainda era puto, ia pela estrada de mão dada com o pai, enorme, tão alto que tinha que subir a mão à altura da cabeça para segurar na dele. Tropeçou não se lembrava no quê, e logo ali ficou pendurado no ar pelo bracito pequenino, tão pequenino que cabia dentro da mão dele. Olhou para cima e viu um sorriso enorme. "Olha por onde pões os pés, choné".

Tentou desesperadamente agarrar-se a algo, mas tudo - tudo - tudo se lhe escapava entre os dedos das mãos. As rochas da parede, as raízes trémulas de algo que há muito deixara de ali crescer, tudo parecia gorduroso, esquivo e escorregadio.

Na arena improvisada, depois da estocada fatal, vinha o tractor arrastar o touro, deixar-lhe o rasto de sangue quente a empapar até sair da areia, onde se lhe misturava o cheiro com o cheiro do gasóleo mal queimado. Era sempre assim, e era ali que começava a festa. Lembrava-se de um dia em particular em que correram um touro enorme, talvez demasiado agarrado à vida, que depois da estocada e de amarrado ao tractor ainda se mexeu quando o começaram a arrastar. Veio o maioral e deu-lhe o golpe de misericórdia "para não sofrer mais que não era assim que se faziam aquelas coisas".

Era como se o diabo em pessoa ali estivesse a impedi-lo de se agarrar, como se o estivesse a impedir de continuar vivo. Falhou-lhe o outro pé. Tentou ainda e sempre e mais uma vez agarrar-se ao que havia sido o chão. A adrenalina impedia-o de sentir a dor da carne cortada nas rochas que pareciam feitas de areia e teimavam em não o agarrar.

Tocou à sineta. Veio a Dª Genoveva abrir a porta de olhos comidos pelo choro, que esperasse que a filha ainda não estava despachada. "O combóio não há-de esperar", pensou enquanto enrolava um cigarro. Vem a rapariga esbaforida à porta, linda como nunca a tinha visto em dias de vida, e logo ali lhe agradeceu com o olhar. Olhou para o lado e segurou-lhe na mala pesadíssima, que havia de carregar até ao apeadeiro nem que ficasse sem um braço. Para trás ficaram choros e lamentos, pela frente tinha um caminho de silêncio que teimava em não o deixar dizer o que lhe ia na alma. Aquela hora de caminho e de espera consumiram-no mais do que toda a angústia que havia para sentir no mundo. Parava, enrolava um cigarro e "comia-o" em três baforadas. Nunca o Inferno fora tão maldito como aquela nó na garganta que o impedia de falar. Deixou-a ir sem lho conseguir dizer. Não conseguiu falar, não se conseguiu arrancar um abraço nem um adeus. Nunca mais voltou. Nunca mais a viu. Nunca mais a esqueceu. Nunca mais voltou àquele apeadeiro perdido no meio do nada.

Sentiu-se bater pesado contra a parede da falésia, num rodopio, e depois a sensação de vazio. Não sentia o vento na pele nem na roupa, só o rodopio imparável do corpo a trocar-lhe o céu com o mar e com a parede de rocha mesmo ali ao lado, como que a querer relembrar-lhe que ainda estava vivo.

No instante seguinte (mas muito tempo depois) o mar abraçou-o como se fosse uma laje de pedra. Sentiu-se a ferver em todo o corpo e logo o frio da água lhe lambeu a carne.
Abandonou-se.

Viver

Por vezes não é mais do que esticar os dias ao máximo para que as noites sejam curtas, até ao novo dia...

As always

Nunca nos apercebemos do quão efémera é a nossa passagem por aqui. Tomamos como perenes coisas muito voláteis, como imutáveis coisas que se esfumam no tempo. Talvez seja isso o que nos vai mantendo surpreendidos com a vida, dia após dia.

Back from the past...



Deviate to contemplate
This audio visual opiate
One hundred years from now
Title fights and human rights
We're satellites - you're parasites
Hey yah ya!
Now i've got to tell you
That i've been down
Down so low that i bit the ground
Let's hear it from the heart of america
Ya da dee yeh - yeh ee oh
In america
Urelei usa
For america

Where's the peace and understanding?
Go drum go dance sound on sound
All this peace and understanding
Go drum go dance round and round
In america yeeooo ay da yeeooo ah

A pocket full of posies
And cheap scented roses
Every house should have it's hat on
So in and out and round and round,
Up and down and lost and found
Hey ah ha!

Magazines and gasoline
And made-in-taiwan western scenes
Will you hear us in the heart of america?
Ya da dee yeh - yeh ee oh
In america
Urelei usa
For america

Where's the peace and understanding?
Go drum go dance sound on sound
All this peace and understanding
Go drum go dance round and round
In america yeeooo ay da yeeooo ah

Na na ne na ne na na
All this peace and understanding

Where's the peace and understanding?
Go drum go dance sound on sound
All this peace and understanding
Go drum go dance round and round
In america yeeooo ay da yeeooo ah

All this peace and understanding

The tide is turning...




I used to think the world was flat
Rarely threw my hat into the crowd
I felt I had used up my quota of yearning
Used to look in on the children at night
In the glow of their Donald Duck light
And frighten myself with the thought of my little ones burning
But, oh, oh, oh, the tide is turning
The tide is turning
Satellite buzzing through the endless night
Exclusive to moonshots and world title fights
Jesus Christ, imagine what it must be earning
Who is the strongest
Who is the best
Who holds the aces
The East
Or the West
This is the crap our children are learning
But oh, oh, oh, the tide is turning
Oh, oh, oh, the tide is turning
The tide is turning
Oh, oh, oh, the tide is turning
Now the satellite's confused
'Cause on Saturday night
The airwaves were full of compassion and light
And his silicon heart
Warmed to the sight of a billion candles burning
Oh, oh, oh, the tide is turning
Oh, oh, oh, the tide is turning
The tide is turning Billy
I'm not saying that the battle is won
But on Saturday night all those kids in the sun
Wrested technology's sword from the hand of the war lords
Oh, oh, oh, the tide is turning
Oh, oh, oh, the tide is turning
The tide is turning Sylvester
Oh, oh, oh, the tide is turning
Oh, oh, oh, the tide is turning
Oh, oh, oh, the tide is turning
...

Pensamentos...


I see a summer of winters merging gracefully

Don't look back

will we ever see you face again?



(A chafarica reabriu a porta... Intermitentemente)

Wednesday, July 29, 2009

Temporariamente...


Assim por uns tempos, aqui a chafarica vai fechar a porta (assim como quem não quer a coisa, claro está)...

Monday, July 27, 2009

JC


O "Sénior" completou setenta e um aninhos hoje. Uma vida nada fácil, feita de altos e baixos, de perdas e de luta. Uma vida que ia terminando há vinte e oito anos. Não passou de mais um "baixo" no meio do inconformismo, da vontade de viver em pleno e de ir à luta sem desistir, no meio da vontade de agarrar o touro pelos cornos e não aceitar nunca a derrota sem ter chegado ao limite. A equilibrar a perfeita noção de que há alturas em que nos devemos remeter ao silêncio, e há alturas em que temos que calçar as botas pesadas. Por nós e pelos nossos. E a saber sempre quem é quem ao primeiro olhar, ao primeiro contacto. E sem nunca capitular a modas nem a conveniências de ocasião.
Com princípios, com falhas e erros como qualquer Ser Humano.
Como exemplo não podia ter tido melhor.

Saturday, July 25, 2009

Coisas de Bichos.


Ruka

Pantufas
Sammy
Lucky
Tudo no mesmo dia... não são de hoje, claro que não. Mas continuam assim.

D. Afonso Henriques



Há 900 anos a dar-lhes com a espada.

(Pena que hoje em dia esta malta que lá está não tenha tomates. São umas alforrecas.)

Friday, July 24, 2009

Sunshine


Maskirova.

Se um dia nos fosse possível guardar toda a nossa vida como num filme, todos os instantes que passámos vivos, despertos, conscientes e a sonhar, com todas as sensações tácteis e olfactivas que hoje não conseguimos passar no cinema, transmitindo todos os sentimentos que nos passaram pela alma e a nossa percepção ao ínfimo do mundo em redor... Se nos fosse possível rever esse filme e mostrá-lo a quem nos rodeia, será que o faríamos? Essas pessoas que o vissem continuariam a encarar-nos do mesmo modo? E nós próprios, conseguiríamos viver com isso, com esse reviver de todo esse passado sem qualquer filtragem?

Na vida sucumbimos muitas vezes à fragilidade da condição humana durante o longo processo da aprendizagem, e convivemos demasiado mal com o facto de sermos falíveis - principalmente numa época em que o sucesso e a (aparente) infalibilidade se alcançam a qualquer custo. Provavelmente não quereríamos rever esse filme. Custa olhar de frente para os erros cometidos sem poder fazer nada para os corrigir (e já com a consciência das consequências), seria no mínimo um inferno.




Maskirova:
"The means of securing combat operations and the daily activities of forces; a complexity of measures, directed to mislead the enemy regarding the presence and disposition of forces, various military objectives, their condition, combat readiness and operations, and also the plans of the commander... maskirovka contributes to the achievement of surprise for the actions of forces, the preservation of combat readiness and the increased survivability of objectives."
Sometimes referred as "camouflage".

Sangre



Vita est




Neuza.

Eu até nem queria mas lá terá que ser.
Há uma Jovem Cidadã homónima do título deste post que me anda a dar a volta à molécula. Quero dizer, um destes dias vou ter que lhe afiambrar uma ostra para lhe meter qualquer coisa na marmita a substituir a atmosfera. A cena já se repetiu (hoje foi a segunda ocorrência, já passa das marcas).
Estação de serviço da Galp, paro para atestar a mota. Pré-pagamento. Boa. vou lá dentro, onde se encontra a Neeeeuza, loiríssima, e peço para abrir a bomba. "ah, está em pré-pagamento..."
-"Ok, quero atestar, como é que fazemos?"
-"Deixa um cartão..."
-(A gaja endoidou de vez, pela segunda vez)... Dou-lhe o galp frota para a mão.
-"O galp frota não está activo, tem que pagar com um cartão normal"
(FODASSE).
Olhei para a Neeeeuza, loiríssima, fiz o meu segundo melhor sorriso, agradeci e fui à concorrência.

Nota: entre estas duas visitas, apanhei a Neeeeuuuzzzaaaa numa outra cortesia que fiz à galp lá da paróquia... reconheceu-me pelo capacete e mudaram-se-lhe os ares de cor. Mas tinha sido a "colega de escrivaninha" a atender-me, não houve sarrabulho. Aí foi quando (lhe) deixei o meu melhor sorriso.

Pensamento do dia:

Hoje é
SEXTA-FEIRA
(mas já me foderam o fim-de-semana)

Quando te vir, dou-te um abraço.





Shock Absorber




C'mon
Breathe light
Tasting like
Death
Lying here
Wake up from limbo



An'again...

(... )
-Numa passagem, preferes ver a porta como? Está a abrir-se ou a fechar(-se)?
(Fuck. Outra vez a mesma porra).
-E se fosses mas é para o #$%"inho?
(...)




"No locked doors, no windows barred
No things to make my brain seem scarred "

Metallica, Sanitarium

Thursday, July 23, 2009

Pain


My worst agony coming through you
keep me bleeding night and day
Feed me with pain, dreamin' dreams like a vampire
Around the twinkling flame
...Around the twinkling flame
Around...




Alma Negra


Can't tell you why does Sun shines
Can't tell you why this line
Around the world is infinite
Around the world is free


Vazio.


O relógio do tempo parou, finalmente.
Chegou o vazio, sem mácula, sem dor.
Apenas o nada atravessado pela luz supersónica que irá igualmente consumir até se transformar num ponto negro na imensidão do horizonte infinito.






Wednesday, July 22, 2009

King Takes Knight

No Comments







Genialidade em estado puro.

Path Finder

Back

...From the past...

Tuesday, July 21, 2009

Light



State Of The Art



By Spaceballs.

Para os incrédulos... isto "corria" num Commodore Amiga 500 com 512KB de RAM (cerca de duas mil vezes menos do que 1 GB, para dar uma idéia)... Cabia numa diskette de 720K. Tive um que fazia isto ainda os IBM Compatíveis (os nossos PC's Intel) andavam à procura de uma coisa chamada VGA, e quanto ao som nem vale a pena comparar a coisa.

A "miuda" cujo contorno aparece na imagem... Deve estar pertinho de ser uma quarentona enxuta, se não o for já. Para dar uma idéia do tempo que esta coisa já tem. Quase vinte aninhos em cima do lombo.

Always



Ask The Fuckin' Question:


Famosas últimas frases

-"Corta o vermelho! Tenho a certeza que é o fio vermelho!" - dois ex-elementos da brigada de minas e armadilhas a conversarem informalmente em período laboral;

-"O amigo "Niagara" está errrrado" - um antigo chefe meu que muito prezava;

-"Não saio nada daqui, se quiseres resolvemos isto lá fora!" - Um ex-cliente do Jumbo de Alfragide que se atravessou na fila à minha frente;

-"Este ano não há aumento de ordenado para ninguém. Política da casa." - Um outro ex-chefe meu que também me levava à lágrima de tanta amizade que lhe tinha, estava a dois ou três dias de se reformar;

-"Você até me parece boa pessoa mas vou ter que o multar na mesma..." -Um ex-funcionário da emel numa demonstração de excesso de zelo.


...And so on.


Se não chover...


...Vai estar um rico dia.

Monday, July 20, 2009

Amanhã...

É o melhor dia para começar uma dieta;
É o melhor dia para fazer o que não me apetece fazer agora;
É o melhor dia para falar com quem não me apetece;
É a esperança de que nem tudo tem que ser mau HOJE.

Amanhã é a hipótese que temos de fazer de hoje um dia melhor.

Há quarenta anos atrás...

Sunday, July 19, 2009

Tantas piadas...


... E tão pouco tempo...

Saturday, July 18, 2009

Fear Factory.

Sol



...Hate



I will not notice your presence
Unless you're dead
All of you, my lullaby singers of pain
All of you, my lullaby singers of death
Don't just ask yourself why I am evil
I've been losing my will to justify
Since ...
Someone said
Somehow, Someone
Lost immunity against words I said.

Friday, July 17, 2009

Something Fast




All the things
We never needed
I dont need them now
All the things
Were always confidential
And hidden from me anyhow

You can stand all night
At a red light anywhere in town
Hailing maries left and right
But none of them slow down
I seen the best of men go past
I dont want to be the last
Gimme something fast

God knows everybody needs
A hand in their decision
Some of us are not so sure
I seen his own held out
For a ride on television
I think hes still in baltimore

You can stand all night
At a red light anywhere in town
Hailing maries left and right
But none of them slow down
I seen the best of men go past
I dont want to be the last
Gimme something fast

Pensamentos.

"A VIDA É UMA PEÇA DE TEATRO QUE NÃO PERMITE ENSAIOS. POR ISSO, CANTE, CHORE, DANCE, RIA E VIVA INTENSAMENTE, ANTES QUE A CORTINA SE FECHE E A PEÇA TERMINE SEM APLAUSOS."

CHARLES CHAPLIN

Pensamento do dia:

A madrugada hoje foi assim aqui. De casa até aqui. Vento nas copas e na estrada, vento em terra e no mar. Vida em movimento. Fez-me sentir em casa.

Frozen

Apollo 11


Foto do Big Picture - vale a pena visitar.

And I think to myself...

Dirty Old Town




I met my love by the gas works wall
Dreamed a dream by the old canal
Kissed a girl by the factory wall
Dirty old town
Dirty old town
Clouds a drifting across the moon
Cats a prowling on their beat
Spring's a girl in the street at night
Dirty old town
Dirty old town
Heard a siren from the docks
Saw a train set the night on fire
Smelled the spring on the smoky wind
Dirty old town
Dirty old town
I'm going to make me a good sharp axe
Shining steel tempered in the fire
Will chop you down like an old dead tree
Dirty old town
Dirty old town

Porque sim



Verdes Anos, original de Carlos Paredes, aqui numa interpretação/arranjo do Quinteto Belle Chase. Lindíssimo, como sempre.

Zuvi Zeva Novi




Zuvi! zuvi zevá, vá vanovi!
Zuvi zevá! vá, vá, vá vanovi.
Zuvi zeva novi? zuvi zeva novi.
Zuvi zava zivi zeva novi!...

Salta no ar, rebola de lado!
Sépia salmão, cheiro alvado...
Salta no ar, rebola de lado!
Sépia salmão, cheiro alvado...

Ele aí cai, zuvi vai ver,
Mirar a montra, sorrir de prazer,
Caixinha, cor, mar, corinto, então?
Ainda a dança jinga na mão!

Taste a mar, hortelã gel,
Rola no ar, patinha no mel!
Taste a mar, hortelã gel,
Rola no ar, patinha no mel!

Ele aí está, zuvi vai ter
Hálito bombom, bom a valer!
Caixinha, cor, mar, corinto, então?
Ainda a dança jinga na mão!

Zuvi zeva zuvi zeva zuvi zeva novi,
Zuvi zava zivi zeva novi ah!
Zuvi zeva zuvi zeva zuvi zeva novi,
Zuvi zava zivi zeva novi ah!

Âh!...Ah!...Zuvi zeva novi?
Ah!...Ah!...Zuvi zeva!

Faces and Names



Faces and names, I wish they were the same
Faces and names only cause trouble for me
Faces and names

If we all looked the same and we all had the same name
I wouldn't be jealous of you or you jealous of me
Faces and names

I always fall in love with someone who looks
The way I wish that I could be
I'm always staring at someone who hurts
And the one they hurt is me

Faces and names, to me they're all the same
If I looked like you and you looked like me
There'd be less trouble you see

Faces and names, I wish they'd go away
I'd disappear into that wall and never talk
Talk, not talk

I wish I was a robot or a machine
Without a feeling or a thought
People who want to meet the name I have
Are always disappointed when they meet me

Faces and names, I wish they were the same
Faces and names only cause problems for me
Faces and names

I'd rather be a hole in the wall
Looking out on the other side
I'd rather look and listen, listen and not talk
To faces and names

If I had a breakdown when I was a kid
I lost my hair when I was young
If you dress older when you're not
As your really age you look the same

If we all looked the same, we wouldn't play these games
Me dressing for you and you dressing for me
Undressing for me

Faces and names, if they all were the same
You wouldn't be jealous of me or me jealous of you
Me jealous of you, me jealous of you

Your face and your name
Your face and your name
Faces and names
Faces and names

Sway




When marimba rhythms start to play
Dance with me, make me sway
Like a lazy ocean hugs the shore
Hold me close, sway me more

Like a flower bending in the breeze
Bend with me, sway with ease
When we dance you have a way with me
Stay with me, sway with me

Other dancers may be on the floor
Dear, but my eyes will see only you
Only you have the magic technique
When we sway I go weak

I can hear the sounds of violins
Long before it begins
Make me thrill as only you know how
Sway me smooth, sway me now

Other dancers may be on the floor
Dear, but my eyes will see only you
Only you have the magic technique
When we sway I go weak

I can hear the sounds of violins
Long before it begins
Make me thrill as only you know how
Sway me smooth, sway me now
You know how
Sway me smooth, sway me now

Thursday, July 16, 2009

Constituição

No Garden of Philodemus um post muitíssimo interessante. Uma abordagem ponderada. E parece-me que estas coisas das leis têm que deixar de ser a armadilha dúbia ancorada numa linguagem nada acessível ao comum dos mortais.
A Constituição e todo o conjunto de leis, decretos e normas que regulamentam a nossa convivência enquanto elementos de uma sociedade não são o manual operacional de um qualquer elemento tecnológico top-gun conhecido apenas por meia-dúzia de nerds de topo, são coisas que mexem efectivamente com a vida de toda a gente todos os dias. Há que ter isso em linha de conta.

O meu umbigo é um albergue espanhol.

The "new" fallen madonna with her "new" big boobies - leia-se a Taróloga Maya et sus muchachos de silicone, AKA Tia Maya para os mais íntimos segundo a própria - terá alegadamente escrito de seu próprio punho uma espécie de rascunho mais ou menos incompreensível que (diz-se), seria na génese uma (vã?) tentativa (gorada?) de apoio a qualquer coisa que a Lucy (a Luciana Abreu e não o esqueleto de Australopiteco fémea encontrado em Olduvai como já vi erróneamente referenciado em diversos locais) teria andado a fazer com um tal de Djaló, moço alegadamente prendado nas lides do esférico-sobre-o-relvado.

O "textículo" é uma merda; o Português dava direito a ser sovada semanas a fio até sangrar das gengivas; a coisa não tem pés nem cabeça, e eu diria que se devia reequacionar urgentemente a pena de morte (violenta, claro) para quem escreve daquela maneira e tem a audácia de dar a publicar a coisa.

Para além disso... esta malta não tem mais nada que fazer do que meterem-se nas vidas uns dos outros? Na realidade... não; São vidas tristonhas e apagadas que vivem exclusivamente das aparências, e quanto mais se falar daqueles pequenos egos atmosfericamente engordados, mais relevantes eles parecem.

Lamentamos profunda e sentidamente que assim seja.

"Here Men From Planet Earth First Set Foot Upon The Moon. July 1969 A.D. We Came In Peace For All Mankind."

Começou aqui, com o Sputnik, em 4 de Outubro de 1957, lançado por uma Soyuz a partir do Cosmódromo de Baikonur. Modesto, sim...


... Até ao Saturno V da Apollo 11 (de todo o programa Apollo, para ser mais exacto), que há exactamente 40 anos saiu da Florida com três tripulantes (Neil Armstrong, Edwin Aldrin e Michael Collins) para alunar no dia 20 do mesmo mês no "Mar da tranquilidade".





We Care a Lot

Go ninja go ninja go!


"O presidente da Região Autónoma da Madeira vai defender, na próxima semana, no Parlamento regional, uma proposta de revisão da Constituição para proibir o comunismo em Portugal. Alberto João Jardim justifica a sua posição comparando o comunismo ao fascismo.

O texto da proposta de lei refere expressamente que «a democracia não deve tolerar comportamentos e ideologias autoritárias e totalitárias, nem de direita, nem de esquerda»."


Descalcem esta bota... Porque é verdade.
(Independentemente da chicana política, das manobras de diversão eleitoralista e da Silly Season em curso há anos, as diferenças funcionais entre o comunismo e o fascismo são ZERO. A diferença entre o Hitler e o Stalin é que o último conseguiu ser um bocadinho pior...)

Daqui.

Há sorrisos que...

Wednesday, July 15, 2009

Remember me...

Don't look back



Fear this more (the more) than the hands of man's (disgrace)
It crushes forth (resenting) conquest its plan

Don't look back
will I ever see you face again?

The domination (is in all) Imagination (space)
Caress endlessly (until we) inflame the soul...

Fading to return what's borrowed, devoting rights to me
I see a summer of winters merging gracefully

Don't look back
will we ever see you face again

Tuesday, July 14, 2009

Fábula de encantar

-"Capuchinho vermelho, vou-te comer uma coisa que nunca ninguém comeu..."

-"Hihihihi! Só se for a cesta."

Friday, July 10, 2009

...How does it feel?...


...Delenda Carthago...