Tuesday, November 24, 2009

1395












This is the end
Beautiful friend
This is the end
My only friend, the end
Of our elaborate plans, the end
Of everything that stands, the end
No safety or surprise, the end
I'll never look into your eyes...again
Can you picture what will be
So limitless and free
Desperately in need...of some...stranger's hand
In a...desperate land
Lost in a Roman...wilderness of pain
And all the children are insane
All the children are insane
Waiting for the summer rain, yeah
There's danger on the edge of town
Ride the King's highway, baby
Weird scenes inside the gold mine
Ride the highway west, baby
Ride the snake, ride the snake
To the lake, the ancient lake, baby
The snake is long, seven miles
Ride the snake...he's old, and his skin is cold
The west is the best
The west is the best
Get here, and we'll do the rest
The blue bus is callin' us
The blue bus is callin' us
Driver, where you taken' us
The killer awoke before dawn, he put his boots on
He took a face from the ancient gallery 
And he walked on down the hall
He went into the room where his sister lived, and...then he
Paid a visit to his brother, and then he
He walked on down the hall, and
And he came to a door...and he looked inside
Father, yes son, I want to kill you
Mother...I want to...WAAAAAA
C'mon baby,--------- No "take a chance with us"
C'mon baby, take a chance with us
C'mon baby, take a chance with us
And meet me at the back of the blue bus
Doin' a blue rock
On a blue bus
Doin' a blue rock
C'mon, yeah
Kill, kill, kill, kill, kill, kill
This is the end
Beautiful friend
This is the end
My only friend, the end
It hurts to set you free
But you'll never follow me
The end of laughter and soft lies
The end of nights we tried to die
This is the end














The End.


É verdade. Acabou aqui.
Obrigado a todos os que me seguiram por este lado do mundo.

Até um dia.


Adenda:
Descobri que nenhuma das razões que tinha para fechar o tasco me valiam tanto quantas as razões para ficar. Por isso fico.
Até já... Era mais o que queria dizer.

Monday, November 23, 2009

Chocolate Jesus





Don't go to church on Sunday
Don't get on my knees to pray
Don't memorize the books of the Bible
I got my own special way
I know Jesus loves me
Maybe just a little bit more
I fall down on my knees every Sunday
At Zerelda Lee's candy store
Well it's got to be a chocolate Jesus
Make me feel good inside
Got to be a chocolate Jesus
Keep me satisfied
Well I don't want no Abba Zabba
Don't want no Almond Joy
There ain't nothing better
Suitable for this boy
Well it's the only thing
That can pick me up
Better than a cup of gold
See only a chocolate Jesus
Can satisfy my soul
(Solo)
When the weather gets rough
And it's whiskey in the shade
It's best to wrap your savior
Up in cellophane
He flows like the big muddy
But that's ok
Pour him over ice cream
For a nice parfait
Well it's got to be a chocolate Jesus
Good enough for me
Got to be a chocolate Jesus
Good enough for me
Well it's got to be a chocolate Jesus
Make me feel good inside
Got to be a chocolate Jesus
Keep me satisfied

Bigmouth strikes again



Sweetness, sweetness I was only joking
When I said I'd like to smash every tooth
In your head

Oh ... sweetness, sweetness, I was only joking
When I said by rights you should be
Bludgeoned in your bed

And now I know how Joan of Arc felt
Now I know how Joan of Arc felt, oh
As the flames rose to her roman nose
And her Walkman started to melt
Oh ...

Bigmouth, la ... bigmouth, la ...
Bigmouth strikes again
I've got no right to take my place
In the Human race

Oh, bigmouth, ha ha ... bigmouth, la
Bigmouth strikes again
I've got no right to take my place
In the Human race

And now I know how Joan of Arc felt
Now I know how Joan of Arc felt, oh
As the flames rose to a roman nose
And her hearing aid started to melt
Eek !

Oh, bigmouth, la ... bigmouth, la ...
Bigmouth strikes again
I've got no right to take my place
With the Human race
Oh ...

Bigmouth, oh ... bigmouth, la ...
Bigmouth strikes again
I've got no right to take my place
In the Human race

And now I know how Joan of Arc felt
Now I know how Joan of Arc felt, oh
As the flames rose to a roman nose
And her hearing aid started to melt
Oh !

Oh, bigmouth, oh ... bigmouth, la ...
Bigmouth strikes again
I've got no right to take my place
In the Human race
Oh ...

Bigmouth, oh ... bigmouth, la ...
Bigmouth strikes again
I've got no right to take my place
In the Human race
Oh ...

Bigmouth

Goodbye, and thankyou ! Goodbye !

Saturday, November 21, 2009

Friday, November 20, 2009

Recuperação económica:

Em V ou em U?
Ou seja... uma curva lenta, ao estilo "gráfico da banheira", ou uma inflexão instantânea?
Só Deus sabe. Mas o nosso Presidente está a acompanhar o assunto.
(Isto para quem não sabia o que ele andava a fazer)...

No jornal da TVI

"Mais de mil comprimidos apreendidos".

Eu... fui ali ver. As embalagens de Cêgripe e as de Paracetamol (genérico) trazem vinte comprimidos cada. Estamos a falar de qualquer coisa como cinquenta caixas de comprimidos (cinquenta e uma, eram mais de mil comprimidos)...

Dá direito a notícia.

Homicídio de carácter.

Curiosamente, há coisas que só acontecem a certas pessoas.
Porque será?
E se naquele dia o sol negro não se tivesse arrastado pelo horizonte como uma sombra
E se naquele dia a madrugada não tivesse despontado da noite
E se naquele dia o olhar gelado não tivesse recolhido à penumbra da escuridão
Se naquele dia nada disso tivesse acontecido
Não teria sido aquele dia.

Untitled.

É? E eles gostam do quê?
Gostam... Gostam de paz. Gostam de ser deixados em paz.
Sim?
Sim.
Porquê?
Porque sim. Não gostam que os chamem.
Não gostam que os chamem?
Não, não gostam. Faz-lhes mal.
Faz? Mas não são eles que... Pensava que eles é que...
Não. Não, nada disso. Faz-lhes mal.
Mas eles têm que ser chamados?
Não, não querem, não é bom.
Mas eu vi-a.
Quem?
Vi-a.
Viste-a? A...?
Sim.
Quando?
Ontém. De manhã.
Onde?
Ali, onde ela está agora.
Ela está ali?
Sim.
Agora?
Sim.
Não, não está.
Está. Tenho estado a falar com ela.
Não, tens estado a falar comigo.
Sim, mas estava a falar com ela antes de tu chegares.
Mas eu já estava aqui quando tu chegaste.
Ela veio comigo. Veio ter comigo.
Chamaste-a?
Não.
Foi ela que veio ter contigo?
Sim.
Porquê?
...Veio por tua causa. Disse-me que te vai levar.

Facebook, 1937...

Thursday, November 19, 2009

Varopédia.

Assalto à Vara – assalto de fato e gravata
Che que à Vara – nome revolucionário de Armando Vara
Ovários – ninho de Varas
Vara de porcos – PS; PSD; CDS; PCP; BE
Vara verde – corrupto inexperiente
Varação – encalhar a corrupção na PGR
Varamento – acto de bater em corruptos
Varanda – falcatrua em marcha
Varapau – a vara que julga o Vara
Varapau de corrida – carapau corrupto
Varar um barco – encher o barco de corruptos
Vardade – mentira
Varejeira – secretária do Vara
Vareta – desfalque à chuva
Variações – diversidade de golpadas
Variante – novo esquema corruptor
Variável – oscilação do preço da cunha
Varicela – Vara na cela
Varicose – licenciatura à Vara
Variedades – diferentes modelos de corrupção
Varina – mãe do Vara
Varinha mágica – uma cunha (pequenina) do Vara
Varíola – um Vara mariola
Varómetro – medidor de corrupção
Varonil – um Vara de Abril


(recebida pela via do costume...)

Com um brilhozinho nos olhos..



Com um brilhozinho nos olhos
e a saia rodada
escancaraste a porta do bar
trazias o cabelo aos ombros
passeando de cá para lá
como as ondas do mar
conheço tão bem esses olhos
e nunca me enganam
o que é que aconteceu diz lá
é que hoje fiz um amigo
e coisa mais preciosa no mundo não há

Com um brilhozinho nos olhos
metemos o carro
muito à frente muito à frente dos bois
ou seja fizemos promessas
trocámos retratos
traçámos projectos a dois
trocámos de roupa trocámos de corpo
trocamos de beijos tão bom é tão bom
e com um brilhozinho nos olhos
tocamos guitarra
pelo menos a julgar pelo som

E o que é que foi que ele disse?
E o que é que foi que ele disse?
Hoje soube-me a pouco
Hoje soube-me a pouco
Hoje soube-me a pouco
Hoje soube-me a pouco
passa aí mais um bocadinho
que estou quase a ficar louco
Hoje soube-me a tanto
Hoje soube-me a tanto
Hoje soube-me a tanto
Hoje soube-me a tanto
portanto
hoje soube-me a pouco

Com um brilhozinho nos olhos
corremos os estores
pusemos o rádio no on
acendemos a já costumeira
velinha de igreja
pusemos no off o telfone
e olha nao dá para contar
mas sei que tu sabes
daquilo que sabes que eu sei
e com um brilhozinho nos olhos
ficámos parados
depois do que não te contei

Com um brilhozinho nos olhos
dissemos sei la
o que nos passou pela tola
do estilo: és o number one
dou-te vinte valores
és um treze no totobola
e às duas por três
bebemos um copo
fizemos o quetro e pintámos o sete
e com um brilhozinho nos olhos
ficámos imoveis
a dar uma de tête a tête

E com um brilhozinho nos olhos
tentamos saber
para lá do que muito se amou
quem éramos nós
quem queriamos ser
e quais as esperanças
que a vida roubou
e olhei-o de longe
e mirei-o de perto
que quem não vê caras
não vê corações
e com um brilhozinho nos olhos
guardei um amigo
que é coisa que vale milhões

Wednesday, November 18, 2009

Foi só um golito mas...


Ganhámos.

Tuesday, November 17, 2009

Ânimo, pá!

O Presidente da República tem "confiança no ânimo dos Portugueses". Ouvi-o agorinha mesmo com estas orelhinhas que a terra há-de comer, e da boca do próprio. Eh pá, eu estou animado, mas é porque estou aqui de volta de uma cervejinha, quanto aos outros Portugueses não sei (façam o favor de se pronunciarem, sim?). Faltam os tremoços, mas não se pode ter tudo, é a crise portanto.
(Mau. Agora um repórter fala do "fácies" de quem entra e sai da sala... em directo). Fuck. Estou mesmo desactualizado. Mas sei que o Paulo Penedos já saiu duas vezes para lanchar (lambão, hás-de ficar inchado que nem um odre. Parece que o repórter vai a seguir entrevistar a porta por onde alegadamente o arguido terá passado... Ssseee).
Mas voltando ao ânimo dos Portugueses no meio desta embrulhada toda, se calhar fazíamos assim uma coisa mais gráfica, mais interactiva, pra toda a gente ficar a perceber. Agarravamos nesta malta toda e íamos para o Terreiro do Paço brincar ao Marquês de Pombal e aos Távoras. Como tive a idéia posso ser o Marquês de Pombal, ok?

Eu ficava muito mais animado, e acredito que a maioria dos eleitores contribuintes também.

Face Oculta

Escutem-me. Já que escutam tanta gente que nada tem para dizer, escutem-me a mim.
Eu tenho coisas a dizer. Querem ouvir?
Tenho perguntas a fazer. Posso?
Tenho respostas por encontrar. Quem, onde, quando e como.
Quero ouvir alguém dizer algo concreto, não que alegadamente se passou algo.
Quero saber o que se passou na realidade, não o que alegadamente se poderá ter (eventualmente) passado.
Quero sentir que de algum modo isto funciona. E não que alegadamente funciona ou que vai alegadamente funcionando.
Quero ter a certeza de que há alguém mais a querer respostas, não "alegadamentes".
Não quero ouvir conversa desculpabilizadora. Não quero conversa de futebol na política nem conversa política na Justiça. Não quero inocentes condenados por antecipação nem culpados a escaparem impunemente.
Foda-se, este País não tem livro de reclamações?

Vasilhame...

Para não andar sempre a meter nojo com as bolas de berlim.

Tempo.

Denso.
Opressivo no abraço esmagador de uma boa.
Intenso e sufocante como uma sala antiga cheia de pó.
Intrusivo como o fumo.
Sem me recordar de um raio de sol. Sem me lembrar de como é o Sol.
Como se o céu estivesse carregado de humidade.
Permanentemente.
Numa manhã que dura até ao ocaso, cinzenta de luz.
Como um céu carregado de electricidade, pronto a abrasar o mundo.
Sem apelo nem agravo. Assim porque é, porque assim foi.



And now, about recumbents...


Estas duas coisinhas vão voltar à estrada... ambas duas... Bem, a de cima vou escafiá-la toda, pronto, vai ficar assim uma coisa a modos que um bocadinho (muito) diferente do que é agora... Não é por mais nada, é só porque é demasiado alta, demasiado "curta" e demasiado pesada. A trike... ainda não me decidi. Mas depois deixo "bonecos" lá no outro pasquim. Para já - e como sempre - nem um desenho, nem um rabisco, nada. Tudo na caixa dos parafusos...


Home



Here is a song from the wrong side of town
Where I'm bound to the ground by the loneliest sound
And it pounds from within and is pinning me down

Here is a page from the emptiest stage
A cage or the heaviest cross ever made
A gauge of the deadliest trap ever laid

And I thank you for bringing me here
For showing me home
For singing these tears
Finally I've found that I belong here

The heat and the sickliest sweet smelling sheets
That cling to the backs of my knees and my feet
Well I'm drowning in time to a desperate beat

And I thank you for bringing me here
For showing me home
For singing these tears
Finally I've found that I belong

Feels like home
I should have known
From my first breath

God send the only true friend I call mine
Pretend that I'll make amends the next time
Befriend the glorious end of the line

And I thank you for bringing me here
For showing me home
For singing these tears
Finally I've found that I belong here

A propósito de....


Bem. Começa a coisa assim. Há uns meses atrás, uma alminha mui querida e estimada completou mais um aninho de vida. Vai daí, fui convidado para um magnífico jantar com uma data de gente fixe num restaurante simpático em Setúbal. Ora, toda a gente sabe que ir a Setúbal e não comer choco frito é como ir à Mealhada e não comer Leitão... Lá está. Por grandessíssimo azar do destino, todos os restaurantes, tascos, casas de pasto, cafés e tabernas de Setúbal têm choco frito... menos aquele. O único Apeteceu-me passar o jantar a gritar "querooooo chocoooooo!".

Como Deus escreve direito por linhas tortas... um destes dias calhou a ir a um sítio ali no Seixal, em frente à baía, que por acaso é o tasco da Filarmónica e que, por acaso... por mero acaso, casualidade do destino tinha (adivinhem lá?)???

Tcha-raaaaam!

Choco fritoooooo!!! (e bem bom, por sinal)...
Não preciso ir a Setúbal. Não preciso de ir a festas de aniversário em locais escolhidos a dedo para me causarem três hérnias discais expostas, por mor da ansiedade.
(Tá aqui a prova, hã?)








Milk



I am milk
I am red hot kitchen
And I am cool
Cool as the deep blue ocean

I am lost
So I am cruel
But I’d be love and sweetness
If I had you

I’m waiting
I’m waiting for you

I am weak
But I am strong
I can use my tears to
Bring you home

I’m waiting
I’m waiting for you

I am milk
I am red hot kitchen
And I am cool
Cool as the deep blue ocean

I’m waiting
I’m waiting for you

...I got sunshine in a bag...



Oh oh oh oh oh
I ain't happy,
I'm feeling glad
I got sunshine in a bag
I'm useless but
Not for long
The future is coming on

I ain't happy, I'm feeling glad
I got sunshine, in a bag
I'm useless,but not for long
The future is coming on
I ain't happy, I'm feeling glad
I got sunshine, in a bag
I'm useless, but not for long
The future is coming on
It's coming on

Yeah... Ha Ha!
Finally someone let me out of my cage
Now, time for me is nothing cos I'm counting no age
Now I couldn't be there
Now you shouldn't be scared
I'm good at repairs
And I'm under each snare
Intangible
Bet you didn't think so I command you to
Panoramic view
Look I'll make it all manageable
Pick and choose
Sit and lose
All you different crews
Chicks and dudes
Who you think is really kickin' tunes?
Picture you gettin' down in a picture tube
Like you lit the fuse
You think it's fictional
Mystical? Maybe
Spiritual
Hearable
What appears in you is a clearer view cos you're too crazy
Lifeless
To know the definition for what life is
Priceless
For you because I put you on the hype shit
You like it?
Gunsmokin' righteous with one token
Psychic among those
Possess you with one go

I ain't happy, I'm feeling glad
I got sunshine, in a bag
I'm useless,but not for long
The future is coming on
I ain't happy, I'm feeling glad
I got sunshine, in a bag
I'm useless, but not for long
The future is coming on
It's coming on

The essence the basics
Without it you make it
Allow me to make this
Childlike in nature
Rhythm
You have it or you don't that's a fallacy
I'm in them
Every sprouting tree
Every child apiece
Every cloud you see
You see with your eyes
I see destruction and demise
Corruption in disguise
From this fuckin' enterprise
Now I'm sucking to your lies
Through Russ, though not his muscles but the percussion he provides
with me as a guide
But y'all can see me now cos you don't see with your eye
You perceive with your mind
That's the inner
So I'm gonna stick around with Russ and be a mentor
Bust a few rhymes so mother fuckers
Remember where the thought is
I brought all this
So you can survive when law is lawless
Feelings, sensations that you thought were dead
No squealing, remember
(that it's all in your head)

I ain't happy, I'm feeling glad
I got sunshine, in a bag
I'm useless, but not for long
The future is coming on
I ain't happy, I'm feeling glad
I got sunshine, in a bag
I'm useless, but not for long
My future is coming on

Monday, November 16, 2009

...

Ainda me cheira a neurónio ali na sala de reuniões. É seguramente do brainstorming que terminou há uns instantes...

Portugal....


Esse País esférico... não tem ponta por onde se lhe pegue...



Sunday, November 15, 2009

Gralha no Eixo do Mal

Clara Ferreira Alves a cometer um erro imperdoável, gravíssimo. Por mim não ficava assim, era a exigir um pedido de desculpas em público...
O livro do Astérix a que se referiu é "O escudo de Arverne" e não "O domínio dos Deuses". Está mal, está muito mal... Não se faz...

Os Cínicos e os Cépticos

A não perder no Arrastão.

Wednesday, November 11, 2009

Pensamentos...

10 vítimas em três semanas. A escolha essa era absolutamente aleatória. Sem método aparente, só porque sim, porque lhe ia apetecendo. O "atirador de Washington", como ficou conhecido John Allen Muhammad, foi executado ontém na Virgínia.
Sete anos no corredor da morte, desde 2002 (ano em que ocorreram os factos) até à execução.
Nestes casos fico sempre indeciso entre ser a favor ou contra a pena capital. Porque se uma das dez vítimas fosse um dos meus, era eu próprio a acabar com o sofrimento do gajo, quais injecção quais quê, era um tiro e na hora.
Lá está. Quando nos toca a nós é uma coisa. Quando não, é outra.

Bom dia!

Coisas do mundo

O Muro de Berlim caiu (melhor dizendo, foi derrubado) há vinte anos atrás. Foi também há vinte anos atrás que vimos pessoas enfrentarem tanques em Tiananmen. Em 1929 tinha início a grande depressão, com epicentro em Wall Street, gerada pelas mesmíssimas razões da actual: a ganância e o medo. Por cá começou mais um flop do calibre do caso Casa Pia... Já que envolve nomes sonantes, espera-se que tudo fique em águas de bacalhau. No máximo diria que arriscamos a que um dos seguranças do BCP seja condenado a pena de prisão efectiva por ter deixado entrar um mau elemento nas instalações do banco, um corruptor da pobre alma inocente do Doutor Vara, que não queria ser corrompido, mas lá teve que ceder.
Eu... creio que tenho uma unha encravada. Alegadamente, claro.
Pelo rumo que isto leva ainda acaba por ser notícia.

Tuesday, November 10, 2009

Ikee is never gonna give you up.


Há um vírus novo no iPhone... o Rick Astley. Este mesmo, que nos idos de oitenta não se calava.





"Escutas a Sócrates são nulas"


O Supremo Tribunal de Justiça decidiu que as escutas entre Sócrates e Armando Vara, no âmbito do caso ‘Face Oculta’, são nulas.
Segundo avança o "Expresso", o órgão máximo da magistratura judicial em Portugal decretou a nulidade das certidões onde constam escutas entre o primeiro-ministro e Armando Vara, vice-presidente do BCP que é arguido no processo ‘Face Oculta'.
Estas certidões tinham sido enviadas pela Procuradoria-Geral da República ao Supremo Tribunal.
O motivo da nulidade, escreve o "Expresso", é o facto destas escutas ao primeiro-ministro não terem sido previamente validadas por um tribunal superior.


...
Não percebi. Ou melhor, percebi.
Compreendo que o "método" seja importante (processo penal? Será assim que se chama?), mas parece-me que neste, como em muitos outros casos, se sacrifica a finalidade última da Justiça à razão de existir (numa abordagem redutora) dos agentes dessa mesma justiça.

Em cena no Alvaláxia


"E Tudo o Bento Levou"


(Obrigado, Gi)

Ora lá está.

Segundo dados recentes da Comissão Europeia, Portugal registou em 2009 a maior subida dos custos do trabalho (5,8%), acima da produtividade. Em 2010 apesar da quebra para 0,8%, o custo continua a ser dos mais altos e acima da média. É sustentável ter aumentos salariais muito acima da produtividade?

Se os salários acompanhassem a evolução da produtividade em Portugal seriam hoje bem maiores. Se há conceitos manipulados são os da produtividade e competitividade. Os nossos trabalhadores são tão produtivos como os outros, o que é demonstrado, por exemplo, pela emigração. Mas um trabalhador com uma enxada, por mais que cave não compete com um tractor: tudo depende do produto em causa e das técnicas. É tempo de não sermos governados pelas opiniões tecnocráticas e de a política ter o seu papel.


Monday, November 9, 2009

Para não esquecer...


"We welcome change and openness;
for we believe that freedom and security go together, that the advance of human liberty can only strengthen the cause of world peace.
There is one sign the Soviets can make that would be unmistakable, that would advance dramatically the cause of freedom and peace.
General Secretary Gorbachev, if you seek peace, if you seek prosperity for the Soviet Union and eastern Europe, if you seek liberalization, come here to this gate.

Mr. Gorbachev, open this gate.

Mr. Gorbachev, tear down this wall!"


Mais um abandono no Sporting...

Fotoblog.

Fotoblog.




Fotoblog.





Fotoblog.





Fotoblog.


Fotoblog.

Fotoblog.





Fotoblog.





Ich Bin ein Berliner.


Quem não aprende com a História, está condenado a repeti-la.

Friday, November 6, 2009

Não basta apagar o fogo.

Faces...

Por uma série de razões cá de dentro da pele, nas últimas semanas não tenho ligado muito às "novas" cá do burgo, mormente porque também estou um bocado cansado de telejornais de uma hora "ricamente debruados a 3/4 de hora de futebol", sendo que o outro quarto é o de um bordel. E é exactamente nesse quarto que encaixam pérolas do bem saber bem viver bem estar do País - zinho que somos. Há por aí mais um "caso", o face oculta, a respeito do qual já muito foi dito. Se mantiver a linha editorial do pasquim não acrescento nada de valor à tinta que já se verteu, pelo que passo à sugestão da manhã: em caso de forte suspeita & antecedentes mal explicados, ao invés de se arquivar o processo dever-se-ia pendurar o réu pelo pescoço em três braças de boa corda de cânhamo.
À intempérie, claro, até ao embranquecer dos ossos.
Radical sim.
Para servir de exemplo.
Porque já há demasiada gente a passar fome neste País às custas de filhos da puta.

Pérola de Sexta-Feira

Esta chegou-me pela via do costume. A sério. É linda.
Esta foto é a prova de que uma imagem vale mais do que mil palavras. Só por isso me vou escusar de referir tudo o que me apetecia dizer depois de chamar a atenção para o ar esclarecido da alminha.
É o género de coisa que fica sempre bem em qualquer blog.


The Small Hours


"Dark rivers are flowing
Back into the past
You are the fish for which I cast
And what of the future
What is to be
As the rivers flow into the sea"

And I try to get through to you
In my own special way
As the barriers crumble
At the end of the day

Thursday, November 5, 2009

Untitled.



If you go I hope you get there
If you get there I hope you like it

Cos the night might seem like maidens
Sweet maidens sent to tempt you

And the dark might seem like lovers
Sweet lovers sent to kiss you

Oh if you go I hope you get there
If you get there I hope you like it

Yeah yeah and I
I can see your eyes shining but your head won't move
Oh yeah I
I can see your eyes shining but your head, your head won't move

You can't leave now brother
Don't leave now brother
Cos we love you

You can't go no
You can't leave now brother
Don't leave now brother
Cos we love you

Oh you can't go

You can't leave now brother
Don't leave now brother
'Cos we love you
Yes you
If you go
Can't leave now
Don't leave now brother
'Cos we love you

But if you go I hope you get there
If you get there I know you'll like it

Monday, November 2, 2009

Pensamento da tarde:

Sugestão almocística. Quem quer?
...
...
...

Sempre são 142 ml de "hot pepper sauce"...
(O nome foi escolhido "a dedo").

António Sérgio




Requiescat in Pace

Segunda-feira