Friday, December 31, 2010

New Years Day


All is quiet on New Year's Day.
A world in white gets underway.
I want to be with you, be with you night and day.
Nothing changes on New Year's Day.
On New Year's Day.

I... will be with you again.
I... will be with you again.

Under a blood-red sky
A crowd has gathered in black and white
Arms entwined, the chosen few
The newspaper says, says
Say it's true, it's true...
And we can break through
Though torn in two
We can be one.

I... I will begin again
I... I will begin again.

Oh, oh. Oh, oh. Oh, oh.
Oh, maybe the time is right.
Oh, maybe tonight.
I will be with you again.
I will be with you again.

And so we are told this is the golden age
And gold is the reason for the wars we wage
Though I want to be with you
Be with you night and day
Nothing changes
On New Year's Day
On New Year's Day
On New Year's Day

Thursday, December 30, 2010

Geriatric Tour

Ontem tive o desprazer de assistir ao debate (?) entre o candidato Silva e o candidato Alegre. Dei o meu tempo por perdido. Duas lesmas pasmacentas a passearem as respectivas vaidades numa folha de alface. Dois bróculos a trocarem entre si argumentos idiotas. Duas avantesmas a quem a prudência (e os passados) recomendariam algum recato.
Sinceramente. Não se arranjava ninguem melhor para o cargo? É que pela amostra de ontem... Se estes são os "melhores" candidatos, fico em crer que vivemos tempos demasiado permissivos. Oh se vivemos.

...

Depois de amanhã o Estado passa a cobrar-me mais 2% em qualquer merda que compre - bem ou serviço, seja o que for. E a troco de quê? De nada.
Depois de amanhã o Portugal vai continuar a ser (ainda mais) o País em que o preço dos combustíveis (depois de impostos) é o mais elevado de toda a UE.
Depois de amanhã Portugal vai continuar a ter a pior política de mobilidade e infraestruturas de toda a UE.
Depois de amanhã Portugal vai cortar em média 10% nos rendimentos (de alguns) dos Funcionários Públicos, indiscriminadamente e independentemente de qualquer critério de meritocracia.
Depois de amanhã Portugal vai ser o País de toda a UE em que (em média) os apoios sociais sofreram cortes mais radicais face às reais necessidades da população.
Depois de amanhã Portugal vai continuar a ter o Estado mais autofágico de toda a UE.
Depois de amanhã Portugal vai continuar a ter a classe política mais intragável, imbecil e incompetente de toda a UE.
Depois de amanhã Portugal continuaremos a ter como (principais) candidatos à Presidência da República dois antepassados da actual crise, um por acção e outro por omissão. Antepassados pertencem ao passado, e é la que deveriam estar.
Depois de amanhã vamos continuar por cá, a pagar mais IVA, a pagar mais IRS, a pagar mais taxas moderadoras, mais taxas de serviços incompreensíveis, mais taxa de uso e porte de pintelho e taxas depilatórias.  E vamos continuar por cá porque, apesar de tudo isto, continua a valer a pena ficar cá e lutar pelas pessoas boas que nasceram e escolheram viver neste chão. E só por isso valerá a pena desejar um bom ano de 2011 a todos.


Portugal, roteiro sexual:

Já somos dez milhões e meio a ser fodidos pelo Estado e quejandos.







Não adianta olhar pro céu com muita fé e pouca luta
Levanta aí que você tem muito protesto pra fazer e muita greve
Você pode e você deve, pode crer
Não adianta olhar pro chão, virar a cara pra não ver
Se liga aí que te botaram numa cruz e só porque Jesus sofreu
Num quer dizer que você tenha que sofrer
Até quando você vai ficar usando rédea
Rindo da própria tragédia?
Até quando você vai ficar usando rédea
Pobre, rico ou classe média?
Até quando você vai levar cascudo mudo?
Muda, muda essa postura
Até quando você vai ficando mudo?
Muda que o medo é um modo de fazer censura

Até quando você vai levando porrada, porrada?
Até quando vai ficar sem fazer nada?
Até quando você vai levando porrada, porrada?
Até quando vai ser saco de pancada?

Você tenta ser feliz, não vê que é deprimente
Seu filho sem escola, seu velho tá sem dente
Você tenta ser contente, não vê que é revoltante
Você tá sem emprego e sua filha tá gestante
Você se faz de surdo, não vê que é absurdo
Você que é inocente foi preso em flagrante
É tudo flagrante
É tudo flagrante

Até quando você vai levando porrada, porrada?
Até quando vai ficar sem fazer nada?
Até quando você vai levando porrada, porrada?
Até quando vai ser saco de pancada?

A polícia matou o estudante
Falou que era bandido, chamou de traficante
A justiça prendeu o pé-rapado
Soltou o deputado e absolveu os PM's de Vigário

Até quando você vai levando porrada, porrada?
Até quando vai ficar sem fazer nada?
Até quando você vai levando porrada, porrada?
Até quando vai ser saco de pancada?

A polícia só existe pra manter você na lei
Lei do silêncio, lei do mais fraco:
Ou aceita ser um saco de pancada ou vai pro saco
A programação existe pra manter você na frente
Na frente da TV, que é pra te entreter
Que pra você não ver que programado é você
Acordo num tenho trabalho, procuro trabalho, quero trabalhar
O cara me pede diploma, num tenho diploma, num pude estudar
E querem que eu seja educado, que eu ande arrumado que eu saiba falar
Aquilo que o mundo me pede não é o que o mundo me dá
Consigo emprego, começo o emprego, me mato de tanto ralar
Acordo bem cedo, não tenho sossego nem tempo pra raciocinar
Não peço arrego mas na hora que chego só fico no mesmo lugar
Brinquedo que o filho me pede num tenho dinheiro pra dar
Escola, esmola
Favela, cadeia
Sem terra, enterra
Sem renda, se renda. Não, não

Até quando você vai levando porrada, porrada?
Até quando vai ficar sem fazer nada?
Até quando você vai levando porrada, porrada?
Até quando vai ser saco de pancada?

Muda, que quando a gente muda o mundo muda com a gente
A gente muda o mundo na mudança da mente
E quando a mente muda a gente anda pra frente
E quando a gente manda ninguém manda na gente
Na mudança de atitude não há mal que não se mude nem doença sem cura
Na mudança de postura a gente fica mais seguro
Na mudança do presente a gente molda o futuro

Thursday, December 23, 2010

Natal?

Reza a lenda que Jesus Cristo seria um Homem Bom, Santificado à nascença, gerado sem pecado, predestinado à Salvação do Homem e à expiação das culpas alheias. Tenho para mim que ele era na realidade um incendiário, mas essa é apenas a minha opinião. Mas gostaria de fazer aqui um pequeno exercício de realismo: tentemos separar o homem do Deus, reduzindo-o ao seu expoente máximo enquanto Ser Humano. E enquadrá-lo na época em que viveu. Parece-me uma análise fascinante, e vou partilhar apenas algumas (poucas) coisas que sei, embrulhadas em extrapolações e opiniões. Nada de científico, portanto. Nada "estático". Nada definitivo.
Crê-se que nasceu "em trânsito" - o equivalente de hoje seria nascer na área de serviço de Pombal a caminho da Alfredo da Costa porque o gajo da ambulância teve que parar para fazer um xixi. Crê-se que nasceu num palheiro "misto" - havia lá um burro, uma vaca e um número indeterminado de ovelhas e outra bixeza quadrúpede. Estranheza completa foi a visita dos três Reis, mais carregadas do simbolismo das oferendas e da veneração profética do que de veracidade. Mas já antes do nascimento a coisa tinha ares de não ser de todo normal. O Pai, José, subiu ao panteão como São José, descrito na cartilha como Pai exemplar, parece que não era assim tão Pai quanto isso. Não se trata da história da Virgem e da Pomba - o que em si nos remeteria para práticas pouco recomendáveis; é que o homem seu Pai, José, era já bastante velho quando Jesus nasceu, bastante mais velho do que a Mãe, Maria; e a dúvida da sua capacidade reprodutiva era tal (o Espírito Santo incarnado em Pomba foi uma figura bíblica feliz) que o latim Eucarístico medieval se lhe referia como "Pater Putativo" - logo abreviado para "Pepe" nas catolicíssimas províncias de Leão e Castela. Passada nos dias de hoje toda esta história nos remeteria para (no mínimo) muita estranheza. Mas os tempos eram outros, e a História se encarregou de vestir a história com as alvas vestes da pureza e da castidade de uma pomba. E siga. Porque o rapaz (ainda infante e de seu nome só Jesus - o "Cristo" veio mais tarde na cruz) se encarregou de ser "apanhado" no meio dos "doutores" - a discutir a doutrina do que hoje chamaríamos de Teologia. Com que bases? Não sebemos. E pouco se sabe do que fez até chegar aos trinta anos de idade. Teria irmãos e irmãs? Seguramente, a economia familiar assim o obrigava naqueles dias. Casou? Tinha filhos? Quase de certeza que sim. Só um homem "completo", com provas dadas na vida familiar poderia fazer o que fez nos últimos três anos de vida. E do que se tratou, afinal? Ser ouvido, ser escutado, ser seguido.
"Só" conseguiu moldar o pensamento da Europa nos dois mil anos seguintes. Foi um revolucionário, foi um incendiário, foi políticamente incorrecto em toda a extensão do termo. Fez uma revolução de mentalidades quando se esperava que fizesse uma revolução política. Não expulsou Roma da Judeia; conquistou todo o Império Romano com as idéias que pregou. Provou à exaustão que a palavra é a arma mais eficaz em tempo de guerra. Foi convincente ao ponto de muitos dos seus seguidores terem dado a vida a mortes atrozes por essas mesmas idéias. Não terá sido a primeira vez na História, mas à escala que foi, foi a mais significativa - ainda hoje o é. O que defendeu foi a mais elaborada doutrina de engenharia social, de longe muito mais elaborada do que o comunismo, o fascismo o capitalismo ou qualquer outro "ismo" aplicável. Provou ter um conhecimento profundo da psicologia humana, individual ou colectivamente. Não forçava - convencia. Tinha a noção exacta da proporcionalidade do certo e do errado. E o episódio em que se fez mártir pelas suas crenças fez dele um homem acima dos outros homens para os homens do seu tempo. Fez dele um líder e um exemplo - daqueles exemplos a seguir.
A lenda e a conveniência de cada momento deturparam em quase tudo a essência da mensagem que quis deixar, mas deram-lhe uma dimensão que provavelmente nunca quis ter. E deixaram aos seus seguidores um império na terra que nunca reclamou como seu. Em seu nome (e nunca em nome do que defendia) praticaram-se algumas das piores barbáries que a humanidade já concebeu. Contudo, o legado que deixou foi tão forte que quem veio a seguir fez do símbolo de uma das mortes mais atrozes - a que lhe destinaram - o seu próprio símbolo de esperança e de salvação, retorcendo ao limite do improvável a imagem da repressão e da imposição da lei romana que a cruz tinha em todo o império.
E se tivesse aparecido na Terra na época actual?
Fazendo uma leitura transversal dos actos que praticou transpostos para a actualidade, eis algumas das coisas de que poderia ser acusado à luz da nossa lei:
Incentivo à desordem pública e organização ilegal de manifestações, participação em actividades subversivas, distribuição de bens alimentares não certificados e pão com teor de sal não controlado (no milagre da multiplicação dos pães e nas bodas de canaã), circulação na via pública em animal quadrúpede sem a devida autorização (quando entrou em Jerusalém montado num burro), incentivo ao vandalismo e à destruição do bem público (quando a população lhe fez a recepção em Jerusalém com folhas de palmeira), consumo e incentivo ao consumo ilegal de substâncias psicotrópicas (claro, claro, andou sobre as águas... sim sim) e prática ilegal de medicina (nos diversos milagres que praticou, incluindo a ressurreição de Lázaro).
Ou seja, na melhor das hipóteses estaria preso ou internado num hospício.


É o nascimento deste homem que vamos celebrar amanhã à noite.

Pensamento do dia:

"Chuva em Novembro, Natal em Dezembro", já diziam os antigos.

E em Novembro choveu que se fartou.
Feliz Natal!

Monday, December 20, 2010

"Récórde":

Apesar do zapping furioso e completamente aleatório, ainda não apanhei nenhum dos seguintes:
a) debates entre putativos candidatos à presidência da República;
b) comentários aos ditos debates;
c) debates acerca dos comentários dos debates;
d) comentários aos debates acerca do modo como se comentaram os debates.


Sei apenas que o Benfica do meu coração demitiu o palhaço do Espanhol dono da águia Vitória (belo animal) e está já em conversações com a empresa que representa o perú Osvaldo. Um Benfica à Benfica, portanto.

Wednesday, December 15, 2010

Tempo de Antena

Contra a crise
Contra o despesismo
Contra a descaracterização da época Natalina
Contra as grandes superfícies comerciais e contra os grandes grupos económicos que exploram os trabalhadores e o proletariado
Todos à rua no 24 de Dezembro com a ANPCDN,
Associação Nacional Contra as Prendas de Natal

Monday, December 13, 2010

"Suas atitudes falam tão alto que eu não consigo ouvir o que você diz".

Basta trocar "Brasil" por "Portugal", e ouvir com muita atenção.
Necessitamos de gente assim em Portugal - muitas pessoas mesmo.


Thursday, December 9, 2010

Eu não vou falar da Wikileaks

Mas falo de liberdade de expressão. Nunca como hoje o conceito foi tão elástico, mais em função de interesses pessoais ou corporativos do que da intenção de balizar até onde é aceitável e a partir de onde se torna inaceitável. Moralmente falando, claro.

Wednesday, December 8, 2010

Let's look at the trailer

...