Friday, July 22, 2011

Há, contudo, um problema.

Apontar o dedo à Moody's ou a qualquer outra agência de rating é, sem que mais seja feito, tapar o sol com a peneira. O problema de fundo é a regulamentação do sector financeiro; substituir três avaliadores por quaisquer outros não vai à causa das coisas. Porque uma grande falha no actual modelo é exactamente o universo desregulamentado em que estas entidades se movem.

Friday, July 15, 2011

Grandes verdades intemporais


 




Recebido pela via do costume.

Thursday, July 14, 2011

É (também) isto:

Em Portugal existe cerca de um milhão de casas devolutas. Se cada uma das casas for valorizada a um preço médio de 100 mil euros, isso quer dizer que o país tem empatado em casas vazias a astronómica soma de 100 mil milhões de euros. "Comparado com o novo aeroporto, que custa três mil milhões, vemos os excessos que foram cometidos em matéria de construção nos anos 90".


daqui.

El archipiélago macaronésico

Para nuestros hermanos, Ilhas Selvagens para nosostros.


Vale a pena seguir o blog (http://ilhasselvagens.blogspot.com/).

Wednesday, July 13, 2011

...

«No dia em que é empossado, o novo secretário geral do PCUS tem um conversa com o anterior. Este diz-lhe que lhe deixou duas cartas na secretária, numeradas 1 e 2, para serem abertas apenas e só em situações de profunda crise. Chega a primeira crise e o novo SG abre a primeira carta, que diz "Atire todas as culpas para cima de mim". Assim o faz e tudo funciona às mil maravilhas. Chega a segunda crise e abre a segunda carta. Esta diz apenas "Sente-se e escreva duas cartas".»


daqui.

Tuesday, July 12, 2011

Reitingues.

Seguramente há uns quinhentos mil caramelos que percebem muito mais do assunto do que eu e que já se encarregaram de deixar as respectivas opiniões para a posteridade algures somewhere. Mandaria o bom-senso que mantivesse um silêncio prudente acerca do assunto... 
O que é que mudou desta vez? Porque raio é que há uns meses atrás, quando as avaliações da República caiam a grande maioria dos fazedores-de-opinião diziam que tínhamos que fazer pela nossa credibilidade e agora, esses mesmos fazedores-de-opinião dizem que foi um acto terrorista? 
Parece-me mais ou menos evidente. Há uns meses atrás tínhamos um governo (goste-se ou não) que tinha um capital de credibilidade escasso... Ok, nulo, pronto. Quatro PEC's sucessivos intervalados por poucos meses não deram exactamente o contributo correcto para a coisa, fora tudo o resto. Mas, no entretanto, mudámos de governo, e o novo governo deu indicações claras e precisas de um rumo que pretende seguir, rumo esse divergente do do anterior governo. Se é melhor ou não, não sabemos porque a economia e a futurologia têm uma coisa em comum: a exactidão na previsão de coisas que ainda não aconteceram.
Onde é que se inverte o ónus da prova? Aqui mesmo. No ponto de viragem política - que, diga-se o que se disser, é o catalisador das grandes mudanças sociais e económicas. E estando nós ainda na charneira, fazer futurologia com algo que ainda agora começámos a fazer - e a penar - só pode ser gozação. E ainda se torna mais gozação quando percebemos a "insuspeita" coincidência cronológica desta descida brutal da avaliação com a necessidade imperiosa que o País tem de vender alguns dos "anéis" já, para ontem, antes que nos levem os dedos. E reagimos por uma razão: porque quem não se sente não é filho de boa gente. 

Friday, July 8, 2011

Touch me



Come on, come on,
Come on, come on
Now, touch me, babe.
Can't you see that I am not afraid?
What was that promise that you made?
Why won't you tell me what she said?
What was that promise that you made?
Now, I'm gonna love you
'Til the heaven stops the rain.
I'm gonna love you
'Til the stars fall from the sky
For you and I.
Come on, come on,
Come on, come on
Now, touch me, babe.
Can't you see that I am not afraid?
What was that promise that you made?
Why won't you tell me what she said?
What was that promise that you made?
I'm gonna love you
'Til the heaven stops the rain.
I'm gonna love you
'Til the stars fall from the sky
For you and I.
I'm gonna love you
'Til the heaven stops the rain.
I'm gonna love you
'Til the stars fall from the sky
For you and I.

Quem não se sente...




Pois é. Estes meninos parecem aqueles taxistas que quando estão no segundo lugar a seguir ao semáforo, nem a Cristo perdoam: ainda o verde não caiu e já a buzina se faz ouvir. O problema é que não estamos num semáforo e a Moody's não é um simples taxista: somos um País que já por cá anda há uns séculos, e já passou por algumas que nem passam pela cabeça dos analistas da Moody's. E a Moody's ainda é apenas uma empresa de rating, apesar da miserável prestação que teve nos idos de 2007 e de 2008. Não esquecer, a Moody's mailas outras manas siamesas, as três bezerras que nasceram presas pelos cornos.
Eu, quando necessito de saber algo sobre alguma coisa ou alguém, investigo. Não deixo de levar em conta a opinião alheia - principalmente se fundamentada em factos comprováveis, mas investigo e tento ter uma opinião própria. Pode ser errada, mas é a minha. 

Thursday, July 7, 2011

MOODY's

TUDOLOGIA 
em estado puro.

Monday, July 4, 2011

Merda.

No meu calendário mental, hoje era pra ser Domingo.
Fui burlado.

Friday, July 1, 2011

Dúvida Cruel:

A contribuição especial a pagar em sede de IRS para o ajustamento orçamental também afecta os Portugueses residentes em Paris que estejam a cursar "estudos filosóficos"?
É que se não afecta, é injusta.